sexta-feira, 1 de maio de 2015

Anel de Saturno




















Pessoa é para o que nasce.
Mas para que nasce uma pessoa
se quando nasce uma pessoa
nem é pessoa ainda?
Pessoa é invenção: anel de saturno.
Pessoa é coisa que a gente cria.
Pessoa não nasce para coisa alguma.
A gente é que diz:
pessoa nasce para ser feliz,
pessoa nasce para trabalhar,
casar/ter filhos/criar filhos.
Mas que será da pessoa
se não quiser trabalhar,
casar/ter filhos/criar filhos?
Que será da pessoa
se quiser ser vento-poeira-chão?
Se quiser ser correnteza-estrada-estirão?
Se quiser amar um-dois-três amores?
Se quiser amar ninguém?
Se quiser partir-voltar?
Se quiser ser o que quiser
e mais nada?
Que será da pessoa
se não quiser ser pessoa?
Se quiser ser andorinha e voar?
Se quiser ser beija-flor?
Se quiser ser arapuca?
Que será da pessoa?
Será pessoa a pessoa?

Anel de Saturno | Poema do livro Memorial dos meninos | Rudinei Borges | 2014
Foto | Josef Koudelka