quarta-feira, 22 de abril de 2015

Vol(ver)

































teria volvido 
por amores perdidos
lençóis metralhados
de linho e orvalho
caule de espinheiro
véu ávido por âncoras
montanhas do norte triste
onde dormem os pássaros
o ano inteiro
teria volvido
por noites claras
ruas ermas
quartos escuros
pulmões golpeadores
tosses longínquas
vindas da Capadócia
e do Mar Morto
vozes do além
de Aleister Crowley
teria volvido
por atiradores ocultos
cidades quase submersas
matadores falidos
nus masculinos de Herbert List
meretrizes de Maracaçumé
teria volvido
por bicicletas e gramofones
e navios da Guerra das Malvinas
alamedas de Ar-Riyãd
cais de Santarém
violões dependurados
em fios elétricos
da Rua Ipojucan
teria volvido
por céus de fagulhas
revoadas de andorinhas
metamorfoseadas
em crocodilos lilases
arco-íris rascunhados
em papel de seda
caderno velho de escola
gizes de cera derretidos
notas vermelhas
notícias da morte
de Anton Tchekhov
Alexander Pushkin
Lev Tolstoi
Mikhail Lérmontov
teria volvido
por olhares de vidro
paixões armadas
de febre e seca
mantos encardidos
cisto azul das tardes
teria volvido
por dores fortes na amídala
chapéus mexicanos
discos voadores
guerreiros de Botsuana
luz da manhã de Dodoma
Maputo Porto Louis
teria volvido
por ventos que vêm do beco
sais das marés
linhas dum pranto moreno
águas de menino
teria volvido 

Vol(ver) | Poema do livro Memorial dos meninos | Rudinei Borges | 2014
Foto | Wilhelm Von Gloeden (1856-1931)